segunda-feira, 4 de outubro de 2010

perguntas.



e aí, meu amor?
cadê as nossas palavras?
onde foram as nossas justificativas
e aquele jeito de nos olhar?


e aí, meu amor?
onde está tudo que construimos?
nossas poesias onde foram parar?
pra onde foi aquela euforia?


e aí, meu amor?
cadê aquelas nossas músicas de amor?
nossas histórias sobre um futuro?
e aquelas promessas de amor eterno?


Procurei por ti em toda parte, em todo olhar
já não te econtro mais, mas quando nos encontramos
já não te falo mais, mas quando nos falamos
já não nos entendo mais.


E aí, meu amor?

3 comentários:

byron urrutia disse...

MINHA florzinha o Amor e vaporizador da esperanza ,me explico..o momento vale...sim mas as palavras ditas sempre traem consigo comsecuencias,nosso coracao (mulher)cre.mas o do homen,fala e depois nem mas se acuerda do que falou,ele nao sao almas ,sao homes somente como palavras ao vento....

Alice disse...

eu acho coragem isso de fazer saltar interrogações, mesmo que sem resposta.

mari linda!

Gaby Soncini disse...

eu acho coragem isso de fazer saltar interrogações, mesmo que sem resposta. [2]

Grande beijo!